Buscar
  • Bruna Santos

Resíduo líquido x Efluente líquido: Qual a diferença?

Parece errôneo falar em resíduo líquido, afinal um resíduo não é sólido, automaticamente? Ou um resíduo líquido é um tipo de resíduo sólido?

Ao mesmo tempo que soa redundante falar “efluente líquido”, não é mesmo?


Pois bem, vamos juntos esclarecer estes termos aparentemente confusos!?

Segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) - Lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010 - artigo 3º inciso XVI resíduo sólido corresponde a “material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnicas ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível;”

Nesta vertente, um líquido pode ser considerado resíduo sólido? A resposta é SIM! Para não ser confuso na comunicação, adota-se a denominação de resíduo líquido. Ok, mas e os efluentes líquidos?


Nem todo efluente é líquido. Na verdade, um efluente é todo material sólido, líquido ou gasoso que flui, “sai” de alguma fonte. Os efluentes líquidos são os líquidos que podem ser tratados, ou não, de forma que seu lançamento na rede de esgoto e corpos d’água sejam permitidos, desde que atendidos os parâmetros legais.

Dessa maneira, temos que a diferença básica entre resíduos líquidos e efluentes líquidos se refere a permissão para lançamento na rede pública de esgoto e corpos d’água.

No seu ambiente de trabalho são gerados resíduos líquidos ou efluentes líquidos?

Conta pra gente!

18 visualizações

Bruna Santos

logo sustenge positiva (branca).png
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone

(62) 98209-2721

Vívyan Mattos

(62) 98244-9938